Marcos

Autoria
Desde os primeiros séculos a Igreja Cristã atribui a autoria do segundo evangelho do Novo Testamento a João Marcos, filho de maria, uma mulher de posses e muito prestígio em Jerusalém (At 12.12). Marcos era primo de Barnabé, amigo e companheiro de ministério dos Apóstolos Paulo e Pedro. A igreja primitiva também nos informa que Pedro teve participação decisiva na evangelização e no discipulado de João Marcos, e que ambos desenvolveram laços de profunda amizade e respeito mútuo. Pedro se referia a Marcos como “meu filho Marcos” (1ª Pd 5.13)

É de aceitação geral quem Marcos recebeu de Pedro grande parte das informações contidas no Evangelho que leva seu nome. Com a autoridade apostólica de Pedro subjazendo este livro sagrado, ele jamais sofreu nenhuma contestação á sua inclusão no cânon das Escrituras. Isso em muito cooperou para o rápido reconhecimento deste Livro Sagrado, bem como sua extraordinária disseminação por toda Itália e regiões do Império romano. Segundo Papias por volta do ano 140 d.c, citando uma fonte ainda mais antiga. Marcos foi grande cooperador de Pedro seu amigo intimo, de quem ouviu sobre os ensinos e realizações de Jesus Cristo. O Evangelho Segundo Marcos consiste , basicamente, na pregação e no ensino do apóstolo Pedro ordenada e interpretada por João Marcos (Atos 10.37).Ainda muito jovem Marcos teve o privilegio de acompanhar Paulo e Barnabé em sua primeira viagem missionária. Depois viajou com Barnabé para Chipre, pregando a Palavra do Senhor (Atos 15.38-40). Cerca de 12 anos mais tarde, é convidado por Paulo para acompanhá-lo (Cl 4.10; Fm 24). Pouco antes de ser executado pelo Império Romano, Paulo manda chamar João Marcos (2ª Tm 4.11) para seguir anunciando o Evangelho a todos os povos.
Propósitos
Enquanto manteve como principal propósito levar o Evangelho aos judeus, Marcos escreveu objetivando evangelizar e discipular os gentios, particularmente, ensinar os cristãos da Igreja de Roma. Por isso Marcos se preocupa em explicar alguns dos costumes judaicos (Mc 7.2-4; 15,42), traduz palavras aramaicas , idioma falado na Palestina na época de Jesus e muito diferente do hebraico antigo( Mc 3.17; 5,41; 7.11,34; 15.22) e profetiza quanto a perseguição e ao martírio dos crentes, particularmente a ocorrida por volta dos anos 64 e 67 d.c. O grande incêndio de Roma, foi um plano diabólico do próprio imperador romano Nero, para acentuar a adoração do seu povo á sua pessoa, lançando a culpa sobre os cristãos e justificando uma perseguição que condenou sumariamente milhares de crentes em Cristo ao martírio, a morte. Nero suicidou-se depois que sua farsa foi descoberta em 86 d.c. Marcos antevendo essa chacina, procurou preparar os cristãos- de forma explicita e velada durante todo o seu texto do Evangelho (Mc 1.12,13;3.22,30;8.34-38;10.30,33-45;13.8-13).

Data da primeira publicação

Os primeiros estudiosos das Escrituras Sagradas acreditavam que o Evangelho Segundo Mateus tinha sido escrito e publicado antes da obra de Marcos . Entretanto, atualmente, muitos teólogos e biblistas são unânimes em afirmar que o Evangelho Segundo Marcos foi o primeiro dos Evangelhos a chegar ao grande publico leitor. Isso por volta do final da década de 50 d.c. Devido ao fato de Marcos ter sido o intérprete do Apóstolo Pedro, havendo preparado sua obra sobre o Evangelho em estreita sintonia com os ensinos e orientações do seu querido mestre, tanto Mateus quanto Lucas utilizaram os textos de Marcos como principal fonte documentária na produção de seus relatos sobre a vida e a obra de Jesus Cristo em seus Evangelhos.
De acordo com alguns da igreja, como Irineu e Clemente de Alexandria, o Evangelho Segundo Marcos foi escrito nas regiões da Itália, mais precisamente, em Roma. Pesquisas históricas indicam que Pedro e Marcos estavam em Roma, pouco antes do martírio de Pedro que se deu na mesma cidade e no qual o apóstolo teria solicitado que sua crucificação se desse de cabeça para baixo, pois acreditava não ser digno do mesmo tipo de martírio e morte que foram impostos ao Senhor Jesus. No final de sua primeira carta, Pedro indica claramente que está com Marcos, em Roma, criptografando (codificando) a palavra “Roma” por “Babilônia” 
(1ª Pe 5.13) a fim de proteger a Igreja que se reunia naquela cidade das perseguições do Império. Alguns sérios e componentes estudiosos, entretanto, defendem a ideia de que Pedro realmente se encontrava naquela ocasião, na Babilônia (1ª Pd 5,13).

Esboço Geral de Marcos
1.O ministério do Servo (1.1 –10.52) 
A. A preparação para o ministério de Jesus (1.1-13)
B. Por meio da vida e obra de João Batista (1.1-8)
C. Por meio do seu prprio batismo (1.9-11)
D. Por meio da vitória sobre a tentação (1.12, 13).
2.Seu ensino e poder (1.14 – 3.12) 
A. Sobre uma espécie de demônio (1.21-28)
B. Sobre a doença (1.29-39)
C. Sobre a impureza e a lepra (1.40-45)
D. Sobre toda a paralisia (2.1-12)
E. Sobre a corrupção (2.13-20)
F. Sobre doutrinas equivocadas (2.21, 22)
G. Sobre o uso do sábado (2.23-28)
H. Sobre as deformidades (3.1-6)
I. Sobre os demônios (3.7-12).
3.Ministro posterior na Galilia (3.13-6.29)
A. Escolha e convocação dos Doze (3.13-21)
B. Condenação dos rejeitadores (3.22-30)
C. A família espiritual de Jesus (3.31-35).
4. As parábolas de Jesus (4.1-34) 
A. O semeador (4.1-34)
B. A candeia (4.21-25)
C. O desenvolvimento do grão (4.26-29)
D. A semente de mostarda (4.30-34).
5. As virtudes do Senhor Jesus (4.35 – 9.1)
A. Sobre as tempestades (4.35-41)
B. Sobre os demônios (5.1-20)
C. Sobre a doença e a morte (5.21-43)
D. Ao comissionar os apóstolos (6.7-13)
E. Afetando o assassino Herodes (6.14-29)
F. Ao alimentar 5.000 homens (6.30-44)
G. Ao caminhar sobre as águas (6.45-52)
H. Sobre as enfermidades (6.53-56)
I. Sobre as tradições religiosas (7.1-23)
J. Para com uma mulher gentia (7.24-30)
K. Para com um homem surdo (7.31-37)
L. Ao alimentar mais 4.000 homens (8.1-9)
M. Ao condenar os fariseus (8.10-13)
N. Em seu ensino sobre o fermento (8.14-21)
O. Sobre a falta de visão (8.22-26)
P. Sobre a vida do apóstolo Pedro (8.27-33)
Q. Sobre todos os discípulos (8.34 – 9.1).
6.Suas profecias (9.2-50) 
A. Quanto a Sua glória (9.2-29)
B. Quanto a Sua morte (9.30-32)
C. Quanto às recompensas (9.33-41)
D. Quanto ao inferno (9.42-50)7.
7.Seus ensinos na região da Peréia (10.1-52) 
A. Sobre o divórcio (10.1-12)
B. Sobre os pequeninos (10.13-16)
C. Sobre a vida eterna (10.17-31)
D. Sobre Sua morte e ressurreição (10.32-34).

Bíblia King James Atualizada

NOVO TESTAMENTO

Quem caminha com Cristo, deve fazer a leitura do N.T. conforme a sequência que se segue, sem leitura orientada, a fim de que cada um, de si mesmo, verifique o significado do Evangelho sem as leituras pré-condicionantes aprendidas na religião. É preciso aprender a olhar as Escrituras a partir do Evangelho.

O EVANGELHO É A BOA NOVA


O Evangelho é a Boa Nova. O Evangelho é a certeza de que Deus se reconciliou com o mundo, em Cristo; e que agora os homens podem se desamedrontar, pois foi destruído aquele que tem o poder da morte — a saber: o diabo —; bem como foram libertos aqueles que estavam sujeitos à escravidão do medo da morte por toda a vida. Quem crer está livre, e pronto para começar a andar na paz”.

☛ QUERIDOS SEGUIDORES

☛QUERIDOS SEGUIDORES DO GOOGLE+

☛ Comentários Recentes

Minha lista de blogs