Novo Testamento

Quem caminha com Cristo, deve fazer a leitura do N.T. conforme a sequência que se segue, sem leitura orientada, a fim de que cada um, de si mesmo, verifique o significado do Evangelho sem as leituras pré-condicionantes aprendidas na religião. É preciso aprender a olhar as Escrituras a partir do Evangelho.

O Evangelho é a Boa Nova


O Evangelho é a Boa Nova. O Evangelho é a certeza de que Deus se reconciliou com o mundo, em Cristo; e que agora os homens podem se desamedrontar, pois foi destruído aquele que tem o poder da morte — a saber: o diabo —; bem como foram libertos aqueles que estavam sujeitos à escravidão do medo da morte por toda a vida. Quem crer está livre, e pronto para começar a andar na paz”.

Postagens Aleatórias

Blog em Defesa do Evangelho e interdenominacional. Sempre houve defensores do Evangelho desde a igreja primitiva, há uma luta contra os falsos mestres, que deturpam a bíblia manipulando mentalmente e emocional aqueles que os seguem. Quem ama Jesus Cristo defende Seu Evangelho descordando dos cultos de entretenimento e a comercialização de fé.

"Fora do Caminho da Graça em Cristo, não há caminho a ser feito!"

1ª Tessalonicenses

Autoria
 A igreja primitiva e os pais da igreja defenderam, desde os primórdios, a autoria paulina desta primeira carta aos tessalonicenses. Desde o ano 140 d.C., quando Marcião registrou em sua obra o fato de Paulo ter escrito à Igreja em Tessalônica, em sua estada em Corinto, até hoje, não houve muitas divergências quanto à autoria dessa carta, que é considerada, ao lado de Gálatas, a mais antiga epístola canônica de Paulo. Paulo, Silas e Timóteo chegaram pela primeira vez à cidade portuária de Tessalônica, durante a segunda grande viagem missionária (At 17.1-14). Depois de Filipos, foi Tessalônica o segundo lugar a onde o Evangelho chegou no continente europeu. Pelo fato de a mensagem e a pregação do apóstolo de Cristo ter contribuído para o esvaziamento da sinagoga da cidade, os judeus passaram a acusar Jasom, o hospedeiro de Paulo, de estar abrigando traidores de César. Os governantes de Tessalônica usaram Jasom como refém para exigir que Paulo e seus discípulos se retirassem da cidade. Assim que chegaram a Atenas, Paulo enviou Timóteo de volta a Tessalônica a fim de animar os crentes fiéis e enviar-lhe um relatório sobre o estado geral dos cristãos tessalonicenses (1ªTs 3.1-5). Mais tarde, Timóteo se encontrou com Paulo em Corinto, onde foram escritas as duas cartas à Igreja em Tessalônica (3.6).Tudo indica que Paulo passou pouco tempo junto aos tessalonicenses nessa viagem. Alguns estudiosos afirmam que esse tempo não excedeu a um mês, pois somente três sábados são mencionados no livro de Atos dos apóstolos (At 17.2). Todavia, por causa do grande número de gentios, com certeza, o ministério de Paulo foi muito mais extenso naquele momento histórico (1ªTs 1.9).O relatório do jovem líder e fiel missionário Timóteo tranquilizou o coração do pai espiritual dos tessalonicenses, e lhe deu muitas razões para glorificar o nome do Senhor pela condição de boa saúde espiritual que a Igreja em Tessalônica demonstrava, apesar das perseguições e das pressões seculares e pagãs que rondavam a comunidade daqueles crentes.
Propósitos
A Igreja em Tessalônica foi fundada pelo apóstolo Paulo em sua segunda grande viagem missionária, e compunha-se de convertidos dentre os judeus e muitos gentios vindos do mais absoluto paganismo, entre os quais vários gregos, homens e mulheres da nobreza local (At 17.4).Considerando que Paulo tinha sido obrigado a partir abruptamente de Tessalônica (At 17.5-10), é fácil entender o quanto muitos novos crentes ficaram desnorteados (1.9). Portanto, o alvo principal do apóstolo nessa carta foi proporcionar encorajamento, especialmente a esses novos convertidos vindos do paganismo, a fim de que se mantivessem fiéis, mesmo em meio às mais severas provações e perseguições (3.3-5). Além disso, Paulo se preocupa em oferecer à Igreja uma boa instrução sobre como viver um estilo de vida piedoso (4.1-8), servindo diariamente ao Senhor com um coração sincero e dedicado (4.11,12). Paulo ainda é categórico quanto à salvação e o futuro eterno dos cristãos que morrem antes da segunda vinda gloriosa de Jesus Cristo (4.13,15). Por isso, Paulo dá ênfase à doutrina das últimas coisas (escatologia), e finaliza cada capítulo de 1 Tessalonicenses com uma referência clara a esse retorno do Senhor. No capítulo 4, o apóstolo é ainda mais esclarecedora esse respeito (1.9,10; 2.19,20; 3.13; 4.13-18; 5.23,24). As duas epístolas aos tessalonicenses são também chamadas de “as cartas escatológicas” de Paulo. As passagens-chave da primeira carta se referem ao arrebatamento da Igreja (4.13-18) e ao Dia do Senhor (5.11).
Data da primeira publicação
 A grande importância das cartas aos tessalonicenses não reside apenas no fato de figurarem entre as primeiras epístolas canônicas de autoria do apóstolo do Senhor e revelarem muito da sua vida e obra junto à Igreja, mas por conterem informações preciosas e seguras sobre o glorioso retorno de Cristo.Paulo produziu sua primeira missiva à Igreja em, Tessalônica, no ano 51 d.C. A arqueologia moderna descobriu sólida confirmação dessa data ao encontrar o registro desse fato numa inscrição escavada na cidade de Delfos, na Grécia, que data o proconsulado de Gálio entre os anos de 51 e 52d.C. e, assim, coloca na mesma data a presença de Paulo em Corinto (At 18.12-17).
Esboço geral de 1ª Tessalonicenses
1. Ação de graças pelos cristãos em Tessalônica (1.2-4)
2. Provas da revelação e conversão a Cristo (1.5-10)
3. Paulo reafirma o caráter do seu ministério (2.1-12)
A. A sinceridade de seus motivos mais íntimos (2.1-6)
B. A pureza de suas emoções (2.7,8)
C. A fidelidade de sua vida (2.9-12)
4. A recepção por parte da Igreja em Tessalônica (2.13-16)
A. A recepção da Palavra de Deus (2.13)
B. A perseguição por causa da Palavra (2.14-16)
5. Relacionamento de Paulo com a Igreja (2.17 – 3.13)
A. Os objetivos do apóstolo (2.17,18)
B. A missão do jovem líder Timóteo (3.1-10)
C. Oração pelo encontro com os irmãos (3.11-13)
6. Encorajamentos de Paulo aos tessalonicenses (4.1 – 5.22)
A. Quanto a uma vida bonita em Cristo (4.1-4)
B. O perigo de uma fé volúvel e impura (4.5-8)
C. A bênção de amar aos irmãos (4.9-12)
D. As consolações destinadas aos crentes (4.13-18)
E. O Dia do Senhor (5.1 11)
F. Como deve caminhar a Igreja (5.12-22)
7. Oração final, saudações e bênção apostólica (5.23-28).