1ª Timóteo

Autoria
Recentemente, alguns biblistas e comentaristas têm questionado a autoria, tradicionalmente aceita, de que Paulo é o autor desta carta endereçada ao seu jovem e fiel discípulo e companheiro de missões. Um dos argumentos levantados é o de que as viagens de Paulo, relatadas nas chamadas “cartas pastorais”, não correspondem a nenhuma época narrada no livro de Atos. A forma de organização eclesiástica, nelas descritas, tem mais a ver com o segundo século. O vocabulário e o estilo empregados são bastante diferentes daqueles usados nas demais epístolas paulinas. Entretanto, é importante notar que Lucas não se dispôs a contar a história da vida de Paulo, mas, sim, os principais momentos das ações dos apóstolos e da Igreja, em que Paulo tem, evidentemente, participação destacada. Uma vez que sua morte não é relatada no livro de Atos, isto sugere que ele foi libertado e deu prosseguimento ao seu sonho de evangelizar na Espanha, continuando por muitos anos ainda a viajar por todo Império romano, até ser preso novamente em Roma e martirizado por ordem do governo de Nero. Quanto às questões concernentes à organização da igreja, nenhuma colocação ou instrução contida nas “cartas pastorais” exige uma data posterior. As orientações sobre liderança espiritual dadas por Paulo, antes do final do primeiro século, valeram perfeitamente para a igreja primitiva, assim como para a Igreja em todos os séculos até a volta iminente de Cristo (At 14.23; Fp 1.1). Assuntos diferentes e específicos necessitam, muitas vezes, de vocabulário próprio e especial. Portanto, não há argumento, até hoje, suficientemente forte que possa alterar a clássica autoria das conhecidas e amadas “cartas pastorais” de Paulo. Além do mais, e sobretudo, as próprias epístolas confirmam a autoria paulina (1ªTm 1.1,2; 2Tm 1.1,2).
Propósitos
Como nos revelam as primeiras linhas da carta, Paulo está escrevendo para Timóteo (1.2), seu verdadeiro filho na fé” (essa é uma expressão e um conceito de discipulado cristão que deve ser resgatado pela igreja moderna).O jovem líder e missionário Timóteo, natural de Listra (hoje Turquia), era filho de pai grego e de uma piedosa mãe judia cristã, chamada Eunice (At 16.1). Desde seus primeiros dias, Timóteo havia sido instruído sobre a Lei e os Profetas (o Antigo Testamento judaico – 2Tm 1.5; 3.15). O próprio Paulo foia pessoa a quem Deus dirigiu para levar o Evangelho ao coração de Timóteo, durante a primeira visita do apóstolo à Listra. Já na segunda visita, Paulo o convidou para ser seu companheiro nas viagens missionárias que realizava. Assim, Timóteo participou efetivamente dos esforços de evangelização da Macedônia e da Acaia (At 17.14,15; 18.5).O carinho e o respeito de Paulo por Timóteo era tão expressivo que o apóstolo fez questão de mencionar o querido companheiro de missões como co-remetente em seis das suas epístolas canônicas(2Co, Fp, Cl, 1 e 2Ts e Fm). Ao final da vida, Paulo solicita que seu “filho na fé” vá ao seu encontro em Roma (2Tm 4.9,21).Segundo a carta aos Hebreus, o próprio Timóteo foi também encarcerado e liberto mais tarde (Hb13.23).Timóteo não chegou a ser reconhecido como apóstolo, mas destacou-se como missionário e líder cristão altamente respeitado por toda a Igreja de sua época.Durante sua quarta grande viagem missionária, Paulo deu ordens expressas a Timóteo que cuidasse espiritualmente da Igreja em Éfeso 1.3 enquanto o apóstolo seguia viagem para a Macedônia. No entanto, quando percebeu que provavelmente não voltaria a Éfeso tão logo quanto imaginara, escreveu essa primeira carta a Timóteo para detalhar as atribuições que o jovem líder teria sob sua responsabilidade (3.14,15; 1.3,18), que incluíam uma boa dose de segurança doutrinária e personalidade forte para combater os falsos ensinos e heresias da época, uma mistura de gnosticismo com judaísmo místico (1.3-7; 4.1-8; 6.3-5,20,21). Além disso, Timóteo deveria servir como pastor e bispo das almas dos efésios, enquanto a igreja crescia em número e demandas,a saber: a organização dos cultos e reuniões comunitárias (2.1-15), bem como a nomeação e capacitação de bons e fiéis líderes espirituais para pastorear a Igreja do Senhor (3.1-13; 5.17-25). O  grande tema, portanto, desta carta é: “lutar o bom combate” (1.8), quer em relação à vida e atitude pastoral do próprio Timóteo, quer em relação ao comportamento dos efésios como Igreja – Corpo de Cristo (3.15).
Data da primeira publicação
Paulo escreveu sua primeira carta a Timóteo na Macedônia (norte da Grécia), em Filipos, algum tempo depois dos acontecimentos narrados em Atos 28, por volta do ano 64 d.C., durante o intervalo entre a primeira e a segunda prisão do apóstolo em Roma.
Esboço geral de 1ª Timóteo
1. Saudação ao discípulo amado e filho na fé (1.1,2)
2. Orientações referentes à sã doutrina (1.3-11) 
A. A natureza das heresias (1.3-7)
B. O objetivo da Lei (1.8-11)
3. Testemunho sobre a graça de Deus (1.12-17)
4. O objetivo das orientações de Paulo (1.18-20)
5. Instruções sobre o culto da Igreja (2.1-15) 
A. Oração e adoração (2.1-8)
B. Procedimento das mulheres cristãs (2.9-15)
6. Preparação de uma liderança pastoral (3.1-13)
 A. Presbíteros (3.1-7)
B. Diáconos (3.8-13)7. 
A Igreja é a coluna da verdade (3.14-16)
8. Advertências quanto à apostasia (4.1-16) 
A. Descrevendo o mal do esfriamento espiritual (4.1-5)
B. Como se deve combater a apostasia (4.6-16)
9. Orientações sobre os diversos grupos na Igreja (5.1 – 6.21) 
A. Homens e mulheres, jovens e idosos (5.1-2)
B. Viúvas, e pessoas sem amparo (5.3-16)
C. O comportamento dos anciãos deve ser exemplar (5.17-25)
D. A atitude dos escravos – trabalhadores (6.1,2)
E. Cuidado com o engano dos falsos mestres (6.3-10)
F. Apelo pessoal e final ao jovem líder Timóteo (6.11-21)

NOVO TESTAMENTO

Quem caminha com Cristo, deve fazer a leitura do N.T. conforme a sequência que se segue, sem leitura orientada, a fim de que cada um, de si mesmo, verifique o significado do Evangelho sem as leituras pré-condicionantes aprendidas na religião. É preciso aprender a olhar as Escrituras a partir do Evangelho.

O EVANGELHO É A BOA NOVA


O Evangelho é a Boa Nova. O Evangelho é a certeza de que Deus se reconciliou com o mundo, em Cristo; e que agora os homens podem se desamedrontar, pois foi destruído aquele que tem o poder da morte — a saber: o diabo —; bem como foram libertos aqueles que estavam sujeitos à escravidão do medo da morte por toda a vida. Quem crer está livre, e pronto para começar a andar na paz”.

☛ QUERIDOS SEGUIDORES

☛QUERIDOS SEGUIDORES DO GOOGLE+

☛ Comentários Recentes

Minha lista de blogs