Postagens Aleatórias

O Caminho

"Fora do Caminho da Graça em Cristo, não há caminho a ser feito!"

Deus Está Te Chamando

Êxodo 3.1-15
O exemplo do chamado de Moisés como Divino e não humano, ou seja, o chamado parte de Deus para o homem e não o contrário. Deus é quem escolhe e chama seus servos para a obra que precisa ser realizada. Quando nos vemos diante dos desafios que nos surpreendem e muitas vezes não somos nós quem os enfrentamos, pois somos enfrentados por eles sentindo-nos impotentes diante da grandeza dos problemas ao redor. Contudo se tivermos a consciência de que Deus é quem chama e dá as ferramentas, bem como as condições emocionais e espirituais que precisamos, podemos agir com tranquilidade.
Você sabe qual o seu chamado?
Vamos refletir sobre nossa vocação espiritual baseando no chamado de Moisés:
1- As circunstâncias do chamado: v.1-9
Uma causa do chamado é o lamento daqueles que sofrem e precisam de alguém que da parte de Deus possa socorrê-los. No caso de Moisés os escravos judeus precisavam de um libertador e Deus o chamou para essa missão (v.7). Quando Deus envia alguém é em resposta às orações e necessidades de seu povo. O clamor dos aflitos é a causa do chamado (v.9). Assim a missão deve ir de encontro aos desafios da comunidade e sociedade ao redor da Igreja.Os riscos e dificuldades não significam que Deus não está apoiando ou aprovando o enviado. Na verdade os obstáculos servem para revelar a grandeza e o poder de Deus. Quanto maior a dificuldade, maior será o milagre. Os grandes homens de Deus foram chamados em meio a impossibilidades e não tiveram medo de correr riscos, rompendo as barreiras que lhe eram impostas.

O chamado enfrenta os desafios!
2- A legitimidade do chamado: v.10-13
A legitimação do chamado é uma comprovação dada por Deus descrita em Moisés através de seu contato pessoa com Deus, o “EU SOU” de quem ele ouvia as orientações. Isso dava ao povo a certeza de que Deus estava com eles sendo mais Poderoso que o Faraó considerado como divino. Moisés se via pequeno diante do desafio, mas tinha um Deus maior ainda do que ele e qualquer outro problema (v.13,14). Ao perguntar a Deus qual é o seu nome, Moisés demonstra sua necessidade de conhecer a Deus intimamente para ser fortalecido para o chamado tendo a consciência da presença de Deus. Ao revelar seu Nome, o Senhor não se preocupa com a estética da palavra e nem com adjetivos, mas com sua essência e ação libertadora. Deste modo, o Senhor se revela como Deus que age, realiza e permanece com o seu povo. A missão deve ser prioridade no exercício da vocação. O enviado não pode perder de vista o objetivo que lhe deu o chamado. Precisa ter os olhos atentos às oportunidades ao seu redor a partir da realidade, por pior que esta seja a princípio.

O chamado é confirmado por Deus!
3- O propósito do chamado: v.14,15
Primeiramente que o chamado vem de Deus. Ele é quem vê e escolhe quem vai fazer Sua obra. A Igreja pode ajudar na capacitação anunciando a Palavra de Deus, ensinando, discipulando e acolhendo os chamados, mas não pode escolher quem vai ser chamado por Deus. Moisés sabia que seu direcionamento provinha do ver intenso de Deus que podia orientá-lo de forma correta. As dificuldades para enfrentar o chamado eram enormes: o deserto, a distância, enfrentar o Faraó e outras. Contudo a maior dificuldade enfrentada por Moisés foi entender quem ele era diante de Deus e do povo. Essa crise foi solucionada quando pôde compreender que simplesmente era um homem chamado por Deus para libertar seu povo. No relato da vocação de Moisés, os termos enviar, ir e caminhar são muito usados. Isso prova que o chamado não acontece na inércia e nem mesmo para esta. O vocacionado precisa agir, se mover, buscar o que lhe foi proposto por Deus como Missão. O termo xalah (enviar) é repetido oito vezes nos capítulos 3 a 5 de Êxodo se referindo a Moisés como enviado em um sentido literal da palavra como lançado por Deus à Missão que recebeu. Outro termo muito usado é halak (ir, caminhar) consequentemente enfatizado por mostrar a correspondência de Moisés ao chamado Divino. Deus o enviou e Ele foi obedecendo ao envio Divino. O chamado produz atitude! Deus te chama e capacita!
Conclusão:
Percebemos a centralidade da ação Divina no chamado. O agente principal é Deus e não o homem usado por Deus. Deus é quem vê os problemas enfrentados pela comunidade, bem como a pessoa disposta era usada por Ele e assim vocaciona enviando a pessoa certa para o lugar certo. Este é o segredo do sucesso da Missão. A narrativa do chamado e envio de Moisés passou a se modelo de outras descrições de chamados como o de Gideão, Isaías e Jeremias que seguem a mesma sequência:
1º apresenta a circunstância de luta e sofrimento do povo oprimido pelos inimigos.;
2º mostra a finalidade do chamado missionário;
3º a reação do enviado sentindo-se surpreso e impotente diante do desafio;
4º a ocupação de cada um no momento do envio, estando trabalhando quando foram chamados.
Essa tipologia na retratação de chamados demonstra a importância dada ao chamado de Moisés como modelo para outros homens e mulheres de Deus que se seguiram após ele. Certamente tinham em mente que estavam dando continuidade à missão de Moisés. O mesmo acontece conosco hoje quando resistimos ao chamado de Deus. Mas o Senhor nos valoriza e sabe o potencial que temos, além nos capacitar para realizar sua obra. Aceite o chamado de Deus para sua vida!